quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Escola da Barra do Jucu realiza projeto com peças teatrais e publicação de livro


O nome do projeto: Tudo começou com um vestido azul. Formado por professores, estudantes do sétimo ano da Unidade Municipal de Ensino Fundamental Doutor Tuffy Nader, membros do grupo Teatro da Barra/ES e convidados, com apoio da Secretaria Estadual de Cultura (Secult-ES), o projeto foi desenvolvido ao longo do ano 2016 e seu resultado será apresentado no dia 30 de novembro (quarta-feira), a partir das 15 horas, no auditório da UMEF Doutor Tuffy Nader, na Barra do Jucu, Vila Velha.

Será lançado o livro Camélia, de autoria da estudante Débora Lizaldo, e serão apresentadas cinco peças teatrais escritas por alunos também da UMEF Doutor Tuffy Nader. As peças juntas compõem o espetáculo Um breve passeio pela Idade Média, pois as histórias são ambientadas no período medieval. Os nomes das peças são: Uma história de amor, escrita por Bruna Karla de Souza Francisco; Amor Proibido, escrito por Lucas Gabriel; O Guardião dos Pobres, escrito por Arthur Costa Nascimento; Vida Surpreendente, escrita por Keverson da Rocha Almeida, e Uma história de generosidade, escrita por Matheus Mees.

O projeto Tudo começou com um vestido azul reuniu a professora de História Renata Soraia de Assis Marvila, o diretor da Escola Tuffy Nader, João Carlos Vieira Gervásio, diretor e o produtor do Teatro da Barra/ES, Paulo DePaula e Sebaba Rodrigues (respectivamente), o estudante de artes cênicas da UVV e estagiário do Programa de Saúde na Escola Jeová Martinez, oficineiros das áreas de dança, expressão, vocalização, e convênio com a Secult-ES.

Segundo a professora Renata Marvila, o projeto teve início com a leitura de um texto chamado Tudo começou com um vestido azul e, em seguida, passou por diversas etapas, como pesquisas e produções de textos, além das oficinas de teatro nos fins de semana organizadas por DePaula, Rodrigues e Martinez.

O evento do dia 30 será aberto ao público, o qual poderá conferir o resultado de um projeto que envolveu leituras, debates, pesquisas, produção de texto, criação, oficinas de técnicas teatrais, expressão corporal, vocalização.
 



Vale a pena prestigiar!

O quê? Lançamento de livro e apresentação de teatro

Local? Auditório da UMEF Doutor Tuffy Nader, na Barra do Jucu

Data? 30/11/2016 (quarta-feira)

15h – Lançamento do Livro Camélia, da aluna e autora Débora Lizaldo, do 7º Ano B, retratando a história de amor entre jovens de classes diferentes do mundo feudal. Orientação: professoras Renata Marvila e Andreia Dresh

16h – Apresentação de Um breve passeio pela Idade Média, com apresentação das peças teatrais:

Uma história de amor – escrita por Bruna Karla S. Francisco – 7ª Ano A

Amor Proibido – escrito por Lucas Gabriel – 7º ano B

O Guardião dos Pobres – escrito por Arthur Costa Nascimento – 7º Ano C

Vida Surpreendente – escrito por Keverson da Rocha Almeida – 7º Ano D

Uma história de generosidade – escrita por Matheus Mees – 7° ano E


Equipe técnica:
Renata Marvila (professora de História)

Paulo DePaula (diretor do Teatro da Barra/ES e do Núcleo Bob DePaula)

Sebaba Rodrigues (produtor cultural)

Jeová Martinez (Programa de Saúde na Escola e estudante do Curso de Artes Cênicas da UVV)

Franciele Sampaio (coreografa)

Fernanda Cristina (maquiadora)

Joseph DePaula (produtor cultural)


Informações:
Sebaba Rodrigues (produtor cultural): (27) 98802-4512

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Os esquetes voltaram ... O 7º Festival Nacional do Espírito Santo


De 3 a 6 de novembro de 2016 o Teatro Municipal de Vila Velha voltou a ser o palco do Festival de Esquetes do Espírito Santo, que, em sua 7ª versão tornou-se Nacional, com a presença de vários grupos representantes do Estado do Rio de Janeiro.

De parabéns a organização do Festival e o Teatro Municipal de Vila Velha Hélio Vianna, que há mais de três anos esteve fechado e neste ano reabriu suas portas no dia 13 de maio de 2016 – dia, por coincidência, do aniversário do saudoso arquiteto do edifício que leva seu nome. O Prefeito Rodney Miranda pôde reinaugurar o teatro que, sob direção de Anderson Lima, recebeu o Festival coordenado por Karina Assunção e Carolina Moreira, com a presença da subsecretária Márcia Abrahão, representando a Secretaria de Cultura de Vila Velha, e do Presidente da Academia de Letras de Vila Velha, Horácio Xavier.

Com programação extensa, de 4 a 6 de novembro, o teatro foi palco de apresentação dos esquetes aceitos para a competição nacional e também local para oficinas de teatro popular, de rua, e de jogos dramáticos. O Festival homenageou ainda como personalidades capixabas os homens de teatro Jovany Salles Rey e Paulo DePaula, que receberam dos atores Edson Nascimento e Suely Bispo, respectivamente, seus troféus comemorativos.

Noite de festa. Um banquete de esquetes como um cardápio para diferentes gostos, mas selecionados para bons gourmands.

Com boas especiarias para os aficionados – humor, surpresa, sonho, delírio, “saboreados” por espectadores ávidos pelo próximo esquete –, a variedade aguçou interesses. De uma comédia do absurdo como “Meu Marido Sumiu“, do Teatro da Barra/ES, a “Como no Drama”, um esquete a la Vicente Celestino, num portunhol argentino do Gota, Pó e Poeira, de Guaçuí/ES.



Os esquetes foram apresentados pelos nove grupos por Karina Assunção. Alguns dos grupos apresentaram até dois esquetes. A apresentação do esquete finalizava sempre com o refrão de Karina: “Abrem-se as cortinas para o talento!”


O festival fluiu muito tranquilamente, com apresentações seguidas e escolhidas a oferecer momentos variados de introspecção e humor, ou autocrítica, reconhecimento do eu. Enfim, uma boa demonstração da criatividade dos autores, da perícia dos diretores, da execução dos esquetes. Trabalhos divertidos e inesquecíveis e instrutivos, como o impactante esquete "Morte", um drama sério, de introspecção, escrito e interpretado por Hudson Braga, autor e ator de Cariacica, ou o hilário “Certificação Compulsória de Atores – Método da Enzima Monoamina Oxidase”, introduzido na tela por ninguém mais que Fernanda Montenegro e desenvolvido em cena com precisão e excelente performance pela atriz Monique de Vaillé, do Rio de Janeiro. O espetáculo recebeu ainda o prêmio de melhor direção para Diego Molina. E pelo Júri Popular foi escolhido o humorístico “Monte de Caquinhas”, com direção de Anderson Lima e participação de Jennifer Duque, Jessica Duque, Alexia Pinheiro e Alice Guimarães.


Como foi Festival, e é de praxe, houve também os prêmios. Nada fácil para os jurados, tenho certeza. O Grupo Gota, Pó e Poeira, de Guaçuí, arrebatou vários dos prêmios com o seu intrigante e dramalhesco, mas corretíssimo “Como no Drama”, que deu aos atores principais Aline Saraiva e Jacimar Henrique os prêmios de melhor atriz e ator e ainda os de melhor figurino e maquiagem.

Menção honrosa também para o ator Ian Oliveiras, do Grupo Agromelados, do Rio de Janeiro, pelo relevante e revelador espetáculo "P.I.P.A – uma mensagem tocante dos Internados e Prontos Para Açoite".

Parabéns novamente a Karina Assunção e a toda a equipe por possibilitar este convívio teatral com grande intercâmbio e enriquecimento para os participantes. Nossos votos de outro êxito em 2017, com o já esperado Oitavo Festival de Esquetes do Espírito Santo!

Paulo DePaula

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Diretor Paulo DePaula recebe troféu personalidade capixaba

Neste 03 de novembro de 2016, quinta-feira, o diretor teatral Paulo DePaula receberá o troféu personalidade capixaba durante a programação do 7º Festival de Esquetes do Espírito Santo.

A entrega do troféu será realizada às 19h30 no Teatro Municipal de Vila Velha.


Mais informações sobre o 7º Festival de Esquetes do Espírito Santo podem ser acessadas em https://www.facebook.com/festivaldeesquetesdoes/.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Atriz do Teatro da Barra/ES faz relato sobre atuação do grupo em seminário


A atriz Dulce Lodi, membro do grupo Teatro da Barra/ES, participou de mesa de debate sobre patrimônio cultural no 2º Seminário Museu Vivo da Barra do Jucu, o qual teve como tema “Resgate de Tradições e Desenvolvimento da Economia Criativa”.

Dulce Lodi no 2º Seminário Museu Vivo da Barra do Jucu

Dulce falou sobre sua relação com o teatro e música (ela é membro também do grupo Regional do Seu Chiquinho). Na área do teatro, ela relatou a história do grupo Teatro da Barra/ES e sobre como o grupo insere as tradições nas suas produções.

Na programação do seminário, além da mesa de debate, houve oficina gratuita de congo e palestras do secretário de Estado de Turismo, José Sales Filho, e de integrantes do Museu Vivo de São Bento (RJ). O evento foi realizado nos dias 24 e 25 de setembro na Unidade Municipal de Ensino Fundamental Dr. Tuffy Nader, na Barra do Jucu, Vila Velha.